Final de Orange

22 abril 2016


Orange chegou ao fim e eu tenho a minha primeira coleção completa. Quando eu comprei o primeiro volume não imaginei que fosse me apegar tanto a história, não sabia muito sobre o que se tratava, tudo o que eu sabia era que era um shoujo de apenas cinco volumes, então eu pensei "porque não?" e fiz minha assinatura.
Foi quando  meu primeiro volume chegou que eu li a sinopse na contracapa e foi com o final "Salve o Kakeru...!" que eu vi que não se tratava de um simples shoujo.

Para quem não viu a primeira postagem que eu fiz sobre Orange, o mangá ele conta a história de Naho, uma colegial que um dia recebe uma carta que conta tudo o que vai acontecer durante o seu dia e essa carta tem como remetente ela mesma, dez anos no futuro.


As cartas são como instruções, para que a Naho de 16 anos não carregue os mesmos arrependimentos pelo resto da vida como a Naho do futuro. Na primeira carta  - pois é uma para cada dia - conta sobre seu atraso incomun na hora de ir para a escola, a aula livre no período da tarde e o mais importante, a chegada de um aluno transferido de Tokio, Kakeru Naruse. No Inicio a Naho pensa que é uma brincadeira, depois que é apenas coincidência, mas quando tudo começa a seguir exatamente o mesmo roteiro que a carta descreve ela percebe que a carta é verídica e ao mesmo tempo ela fica assustada, com medo do futuro. Mas é claro que ela não consegue não ler a carta e quando ela descobre que o motivo daquelas cartas terem chegado em suas mãos é porque no futuro o Kakeru não está mais vivo ela começa a seguir todos os conselhos que estão escritos nela, isso porque de uma certa forma as cosas que a Naho deixou de dizer ou deixou de fazer "impactaram" - eu não queria usar essa palavra mas não consigo achar uma melhor - na morte do Kakeru e essas cartas são como ver o momento por um outro angulo, já que a Naho de 26 anos entende o que realmente tava se passando com o Kakeru naquele momento, coisas que ele não contava para os novos amigos, e a verdadeira finalidade das cartas é tornam a Naho do presente mais perceptiva.

 "No caminho para casa da avó do Kakeru nós conversamos no carro sobre como o Kakeru seria aos 26 anos. Se essa tal teoria não se comprovar e alterar o  passado for algo possível, talvez o Kakeru de 26 anos ainda  possa existir. Era nisso que eu queria acreditar"


No inicio a Naho não sabe muito o que o que o futuro aguarda, pois ela lê as cartas de acordo com a data, é no volume dois que ela percebe que não é simplesmente um acidente, que saber o horário e o lugar onde o acidente do Kakeru irá acontecer e evitar que ele vá até lá não é suficiente para salva-lo, exite muito mais coisas envolvidas e o que ela precisa realmente fazer é evitar que o Kakeru escolha a morte. É nesse momento que ela descobre também porque na primeira carta dizia para não chamar o Kakeru para sair com a turma, pois aquele dia é o arrependimento dele.


E no Volume três ela descobre que não está sozinha nessa missão, ela descobre que todos os seus amigos, o Suwa, o Hagita, a Takako e a Azusa também receberam cartas dos seus "eus" do futuro com o mesmo objetivo.
Eu não mencionei - mas nem acho que seja necessário - a Naho se apaixona pelo Kakeru e o Kakeru também se apaixona pela Naho (ohh Really?!)  e o que eu posso dizer é que a Naho é muito sortuda por ter esses amigos, como uma tipica protagonista de shoujo a Naho é bastante ingenua e insegura e eu não sei o que seria dela sem esses "empurrãozinhos" dos amigos (Vá no volume 2 - Carta 7 e entenda do que estou falando).

Quando o mangá vai se aproximando da reta final cada ação tomada se torna crucial e cada aparente mudança no comportamento do Kakeru se torna esperança.
No ultimo volume quase chorei e afirmo que só não chorei porque na minha ansiedade para ler eu li no carro enquanto ia pro trabalho e por estar cercada de gente do trabalho eu tive que controlar a mim mesma e evitar passar um vexame.


Eu não posso concluir sem falar sobre os outros personagens, A Azura e a Takako são muito cativantes, não tem como não gostar delas, na verdade não tem como não gostar de nenhum dos personagens desse mangá - tá, só a veterana Ueda, essa você pode odiar - Suwa é um personagem incrível, Acho que até mais que a Naho o futuro dele é o que mais sofreu consequência e ele arriscou tudo por um amigo, ele é apaixonado pela Naho e no futuro ele é casado com ela e tem um filho juntos, e ele sacrifica o futuro que ele quer por um futuro onde tenha o Kakeru, isso é lindo e nobre da parte dele, acho que me apaixonei pelo Suwa rsrs. E o Hagita... Bem, ele usa óculos... (haha) Outro personagem incrível, o maior responsável por quebrar um pouco a  seriedade do mangá.

Como eu disse no inicio, quando eu comecei a ler eu não sabia o que me aguardava e agora que eu conclui eu não tenho palavras pra descrever minha paixão por essa obra. Se você que ler isso ainda estava se perguntando se deveria ler isso a resposta é você não tem que se perguntar você tem que ler!!

2 comentários:

  1. Ah, nem acredito que Orange acabou, como eu lembro que todo semana eu contava os minutos para a saída do manga, e agora temos disponível impresso. Preciso deles na minha coleção. Amei o post.
    Bjinhos
    Uma Geek Descolada

    ResponderExcluir
  2. oi, eu li esse mangá ano passado e chorei horrores, e lendo seu post chorei novamente... o post foi bem legal e acabei de conhecer o seu blog e ele é realmente interessante.
    Espero que continue com com suas postagens, pois vou dar uma olhada sempre que der...
    um grande beijo

    P.s: desculpe o jeito de responder, mas não costumo fazer comentários em blogs, mas esse mangá mexeu e mexe muito comigo. obrigada

    ResponderExcluir

© Janela de Memórias - 2013. Todos os direitos reservados.
Criado por: Caroline Morais.
Tecnologia do Blogger.